Dra. Luciane Mello | Otorrinolaringologia e Medicina do Sono | Fique de olho! Com a entrada da primavera são mais comuns os casos de rinite alérgica
17442
single,single-post,postid-17442,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-6.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Fique de olho! Com a entrada da primavera são mais comuns os casos de rinite alérgica





primavera_luciane

12 out Fique de olho! Com a entrada da primavera são mais comuns os casos de rinite alérgica

Fique de olho! Com a entrada da primavera são mais comuns os casos de rinite alérgica

Nessa época, os pólens contribuem para a irritação da mucosa nasal

 No próximo dia 23 de setembro começa a estação mais florida do ano, a primavera. Mas não são só as flores que aparecem mais nessa fase, mas também as crises de rinite alérgica. A rinite é decorrente de uma hipersensibilidade a determinadas substâncias, que desencadeiam a formação de anticorpos e causam a reação. “Nessa época do ano, os pólens estão dispersos no ar e causam irritação da mucosa nasal, levando aos casos derinite alérgica”, ressalta a Otorrinolaringologista do Hospital Federal da Lagoa, Dra. Luciane Mello.

Episódios recorrentes de espirros, coriza, congestão nasal, lacrimejamento, coceira no nariz, nos olhos, ouvidos e garganta e alternância das narinas congestionadas são os principais sintomas dessa irritação. “A rinite tem tratamento e pode ser com medicações orais, tópicas ou com o uso de vacinas que poderao ser indicadas, dependendo do caso”, destaca a especialista.

Confira algumas dicas da Dra. Luciane Mello para amenizar o problema:

• Identifique os possíveis agentes desencadeantes das crises;
• Evite deixar bichos de pelúcia, cortinas de pano e carpetes nos ambientes;
• Use aspirador de pó e panos úmidos para limpeza da casa. Usar a vassoura pode ajudar a ‘levantar’ o pó;
• Utilize protetores laváveis de travesseiros e colchões.