Dra. Luciane Mello | Otorrinolaringologia e Medicina do Sono | Clima seco no sudeste gera crises respiratórias que comprometem horas de sono
17384
single,single-post,postid-17384,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-6.3,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Clima seco no sudeste gera crises respiratórias que comprometem horas de sono





texto_clima seco_luciane

08 set Clima seco no sudeste gera crises respiratórias que comprometem horas de sono

Está mais difícil respirar e adormecer nos últimos dias? Pois saiba que a culpa disso está na qualidade do ar. A baixa umidade e a falta de chuva, que tem afetado o sudeste nos últimos dias, é um contribuidor para o desenvolvimento de crises respiratórias que consequentemente geram desconforto na hora de dormir.
O ar seco desencadeia o aparecimento de doenças respiratórias como sinusite, rinite, asma, gripes e resfriados. “Nosso nariz cumpre o papel de umidificar e aquecer o ar que respiramos. Porém quando o tempo está desse jeito, ele não consegue executar esta função adequadamente e o oxigênio entra pelo nariz de forma mais seca, causando irritação nas mucosas das vias aéreas. Elas ficam ressecadas, facilitando a contaminação por bactérias e vírus, resultando em infecções,” explica a Otorrinolaringologista do Hospital Federal da Lagoa, Dra. Luciane Mello.
Para aliviar os efeitos do mal tempo e dormir com mais tranquilidade vale apostar em alguns simples hábitos. “Beba muita água para garantir a hidratação das mucosas, faça inalações com soro fisiológico, coloque e uma bacia com água no ambiente.  Caso essas dicas não sejam suficientes e os sintomas piorem, procure ajuda de um especialista,” finaliza Luciane.